Postagens

Fractais de mim

Paredes em branco borradas de passado Cinzas sobressaindo dos cantos de cada cômodo Detalhes que camadas e camadas de tempo não apagam Rachaduras em minha pele que não sagram mais Mas que ainda são um lembrete do que o fogo é capaz
Mesmo que em tardes calmas desprovidas de luz solar Eu quase me sinta como se não estivesse em remendos Em algum lugar dentro dos meus olhos ainda mais obscuro Eu sei que não posso reviver minha altivez em secar meus olhos Como se nada pudesse me ferir As lágrimas bateram e quebraram essa parte de mim
Por mais que eu agora esteja sã e salva Eu sei que estou curada, mas não estou intacta Sou como um daqueles quadros de Salvador Dalí Um relógio derretido pelo calor que mesmo assim ainda funciona Sou aquele encontro surreal de beleza e caos...

COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ

Eu nunca acreditei em predestinação, nunca fui de ter fé, na verdade meu pessimismo sempre ultrapassou todas as possíveis expectativas que eu poderia criar. Eu sempre acreditei piamente que as coisas tem tudo para dar errado o tempo todo. Acho mais fácil acreditar em probabilidades negativas, depois de um tempo(após muitas tentativas frustradas)a gente se acostuma. É tão triste perceber o quanto podemos nos acostumar com coisas ruins a ponto de acharmos que não merecemos nada além de um lugar vazio numa sala lotada. 
Vez por outra eu sempre me pegava pensando no livro As vantagens de ser invisível e na épica frase "nós aceitamos o amor que achamos que merecemos". Eu nunca me vi como merecedora de um amor daqueles que parecem que foram feitos pra acalmar o coração, que as pessoas se fazem bem mutuamente e que a reciprocidade de sentimento leva as coisas à darem certo mesmo contra todas as circunstâncias por que as pessoas querem a mesma coisa. Nunca pareceu palpável, nunca par…

Tic-toc

Quanto tempo é preciso para curar uma hemorragia interna?
Quantas batidas o ponteiro do relógio precisa dar até que uma saudade se torne trivial?
Quantas baterias vão ser trocadas antes que os ritmos batam em sincronia e as importâncias se equiparem?
Quanto de óleo vai cair das engrenagens até que elas estejam no ponto pra recomeçar a pulsar normalmente?
Quanto?
Quanto tempo?
Eu estou ficando cada vez mais com menos tempo...

Um brinde para nunca crescer!

Tem uma risada ecoando nos corredores

Todas as vozes se transformando numa só

Passos despreocupados de quem chegou
querendo permanecer

Sabendo bem que logo logo teria que partir
(alguns cedo demais)

Ainda há resquícios daquela piada antiga
que eu rio ao lembrar

Ainda se sustenta em meu peito a felicidade
de não querer estar em outro lugar

As ruas continuam as mesmas,
mas os passos agora se apressam

Onde nós vamos com tanta pressa?

Se eu não posso voltar no tempo eu posso
te chamar pra andar devagar?

Só hoje, vamos reencontrar aquele velho lugar lúdico

Aquele que guarda nossas lágrimas e sorrisos

Aquele lugar que era fácil acreditar
que um dia seria fácil deixar...

Aquele lugar grande que cabia
no gesto simples
                            de abraçar...


4 notas

Tem um gosto de solidão no aconchego do sofá singular que já nos serviu de plural.
Tem um tom de amargor aquela música doce que ainda não se conjuga no tempo certo que passou.
Tem uma lágrima no sorriso que vem espontâneo ao ver aquele sorriso que nunca mais me será dedicado.
Tem uma dor ao lembrar da alegria do quanto esse seu ódio já foi amor...

Carta ao meu eu de 30 anos

Olá, tudo bem? Espero que você esteja bem, realmente bem, não daquele tipo que a gente só diz que está bem para evitar explicar os porquês (aliás espero que você tenha aprendido a usar eles melhor).
Aqui do passado eu confesso que estou mandando minhas melhores energias pros seus 30 anos, os 24 não foram fáceis e os 25 definitivamente não começaram bem, mas foi importante passar por aquele tipo de coisa que você nunca quis passar, porque era tudo que você precisava.
Espero que as feridas tenham se fechado até aí e que você nunca olhe pras suas cicatrizes com arrependimentos, você as ganhou porque se abriu e permitiu sentir como há muito tempo não fazia. E eu realmente espero que você aprenda a fazer isso de novo, porque agora você está entrando naquela anestesia de sentimento que você conhece muito bem. Você não está sentindo nada.
Tenho algumas instruções importantes pro caso de alguém tentar te fazer esquecer de quem você é (sua memória que sempre foi tão boa tem te deixado muito n…

Alice in NEVERLAND

Ela rodou a cidade em cada noite do inverno de 2009, sentou com os bêbados e desesperançados, conheceu histórias e dores de estranhos e amenizou com os mais inesperados abraços as suas próprias. Ela não voltou antes do dia amanhecer. Ela tocou o fogo que jurou nunca por às mãos, se permitiu quebrar as regras e os outros por estar quebrada. Ela se acostumou á saudade corroendo tudo que era bom com o tempo. Ela procurou inutilmente não ser aquela que sempre precisa ir embora. Ela cobrou por erros que não foram cometidos por quem ela cobrou. Ela cobrou caro. Ela choveu em plena seca em calçadas que nunca quis pisar, sentiu os pés cederem atrás de cada dose de entendimento. Parte dela nunca mais voltou... Ela se perdeu por inteiro por não saber ser metade...